Florais Para 2016

Tempo de leitura: 6 minutos

Quando vejo um filme ou leio um livro, é comum eu pensar no floral mais adequado para cada personagem (foi daí que surgiu a minha ideia para a série de posts: Florais de Bach para os Personagens da Jane Austen). Esse é um exercício que faço desde quando comecei a estudar os florais em 2004. É ótimo para a gente reforçar o conhecimento na terapia floral, pois a literatura e o cinema apresentam uma grande variedade de personalidades, que servem como “estudo de caso”.

Isso também acontece quando alguém me pede indicação de florais. A pessoa vai conversando comigo, e eu, mentalmente, vou “separando” os florais. No caso dos florais de Bach, o ideal é que eu indique de 6 a 7 florais por vez. Então, fazendo algumas perguntas específicas, eu consigo chegar a esses 6 ou 7 florais, dentro de um universo de 38.

Durante o hangout com a Numeróloga Maysa Marin (AQUI), enquanto o assistia, alguns florais ficaram “gritando” na minha cabeça. Três características, em especial, que a Maysa associou ao ano de 2016, me lembraram de alguns florais.

Vamos a elas:

Término de ciclos

A Maysa nos falou que a energia de 2016, que é a energia do número “9” (2+0+1+6=9),   demanda encerramento de ciclos. Algumas pessoas dizem que, em ano “9”, não se deve começar nada. Mas, segundo ela, não é bem assim. É que, antes de começar algo novo, é preciso garantir que o velho tenha sido encerrado. Neste ano, isso é mais importante do que nunca.

Existem três florais que trabalham muito a questão de libertação do passado e de mudanças de ciclo.

Um deles é o HONEYSUCKLE. Esse floral ajuda aquelas pessoas que estão presas no passado. Pessoas que esquecem que a vida é uma constante mudança e ainda estão “agarradas” a algum tempo passado, além de não esperarem nada de positivo do presente, nem do futuro. A Maysa fala daquelas pessoas que ficam se lembrando de uma época em que “tudo era melhor”. Por conta desse olhar, que está voltado para trás, o indivíduo não consegue se entregar ao que a vida tem a oferecer.

O HONEYSUCKLE ajuda a pessoa a trabalhar com o passado, mas sem se agarrar a ele. Ela se torna capaz, como diz Mechthild Scheffer, em seu livro TERAPIA FLORAL DO DR. BACH, de “estabelecer o elo entre o passado e o presente, e assegura que se dê ao passado o seu justo valor.”

man-1050528_640

Um outro floral muito importante nessa fase de mudanças e de rompimento de vínculos é o WALNUT.

Scheffer afirma que “uma pessoa no estado (negativo) de Walnut acha difícil dar o último passo, pois alguns aspectos negativos da sua personalidade ainda estão presos, consciente ou inconscientemente, a antigas decisões ou aos liames do passado.” Ele é o floral das mudanças, por excelência. Sejam mudanças físicas, biológicas, mentais ou espirituais.

Quem precisa se desvencilhar de vez de padrões que aprisionam e limitam, para se direcionar ao Novo, WALNUT é o floral! Ele ajuda a lidar melhor com os momentos de mudança: com mais tranquilidade, mais confiança e mais liberdade de espírito.

Gosto desse floral, em especial, por ele também ajudar na nossa proteção. É um ótimo floral para terapeutas e médicos, pra se “blindarem” contra influências externas psíquicas e espirituais.

E, para aprender de vez com os erros do passado e não os repetir novamente neste ano – afinal, 2016 nos pede para abandonar de vez tudo aquilo que não faz mais sentido na nossa vida -, recomendo o floral CHESTNUT BUD. É ele que transforma as vivências do passado em lições positivas para o presente e o futuro.

Procrastinação.

2016 pede ação.

Temos a tendência de procrastinar quando precisamos encerrar algo que já vem se “arrastando” por algum tempo. Mas, para que o Novo apareça, precisamos pôr um ponto final nesse “algo arrastado”. Sabe aquela sensação de preguiça que você tem só de lembrar que precisa fazer isso?

bicho preguiça

Pois é aí que entra o floral HORNBEAM. O floral que dá ânimo para realizar as atividades do dia-a-dia, mesmo que elas não sejam as mais prazerosas do mundo.

Cumprir nossas tarefas diárias com entusiasmo nos ajuda a superar os obstáculos que se apresentam na nossa vida.

Parar de “mi-mi-mi”

Nos Workshops da terapeuta Daniele Tedesco, a gente sempre tira uma carta que nos traz uma mensagem especial para aquele momento.

Em um desses Workshops, tirei a carta “PODER”. No outro, a carta “VÍTIMA”.

Pesquisando sobre essas cartas, li que ambas têm uma relação muito forte. É porque, se quisermos recuperar o nosso poder, devemos deixar de nos sentir vítimas.

Quando li isso, comecei a observar todas as situações da minha vida em que, de alguma forma, me sentia (e ainda me sinto) vítima ou injustiçada. Sabe quando algo dá errado ou quando alguém faz algo que te desagrada e você começa a se perguntar “o que eu fiz pra merecer isso?”. Então, vitimização! Agora, quando esses momentos aparecem, tento, imediatamente, mudar minha postura e não me sentir mais a vítima-coitadinha-da- história. Me pergunto: quero ou não recuperar o meu poder? Se respondo SIM, então, xô, vitimização! Sou responsável por minhas ações e minha realidade, e posso tirar grandes lições de tudo de mal que me acontece.

O floral que ajuda muito quem está se sentindo vítima é o WILLOW.

No seu estado negativo, a pessoa WILLOW se sente vítima de tudo, culpa o outro pelas suas desgraças, acha que as coisas ruins só acontecem com ela, fica cheia de mágoa e ressentimento…

Esse floral trabalha para que a pessoa tenha uma postura mais positiva diante da vida e das situações negativas.

É um floral ótimo para a pessoa deixar de “mi-mi-mi” e recuperar o seu poder, percebendo que ela é capaz de construir sua própria felicidade.

mulher

 Claro que todos esses florais que estou indicando, os estou mencionando de uma forma mais superficial. Na hora de os indicar a uma pessoa,  preciso levar em conta que cada pessoa tem suas peculiaridades. Por exemplo, Fulana pode precisar de HONEYSUCKLE, mas não precisar de WALNUT. Enquanto Beltrana pode precisar de ambos ou de nenhum. Isso depende de cada um. Mas, de forma geral, as características de um ano “9”, como foram faladas pela Numeróloga Maysa Marin, “pedem” esses florais.

Com carinho e gratidão,

Rebeca

p.s.: Tem um outro floral que eu acho interessantíssimo, não só para este ano, como também para os nossos tempos. É o WILD OAT, que nos ajuda a clarear e direcionar as metas da vida. Mas tenho me debruçado tanto sobre ele (lido bastante e feito uso dele também), que resolvi escrever um post só sobre suas características. Aguarde!