WILD OAT – Um floral para os nossos tempos – parte 3

Tempo de leitura: 3 minutos

Quem não tem propósito não chega a lugar nenhum e se perde pelo caminho da Vida.
(Carmen Monari)

viajante mochileiro trilha viagem caminho caminhos destino caminhada foco direção

Veja se concorda: diante de mudanças tão velozes, quem garante que você não será assombrada por uma ponta de dúvida em algum momento da vida? São tantos novos paradigmas, que, às vezes, é difícil acompanhar tudo o que nos chega.

Mas isso também não é motivo para desespero.

Com paciência, coragem e fé em nossos guias espirituais, nós encontraremos o NOSSO caminho, sabendo qual das novidades deve fazer parte da nossa vida ou não.

farol luz caminho guia direção lighthouse
E o floral WILD OAT pode nos ajudar nessa empreitada.

As características de alguém no “estado negativo” de Wild Oat são:


– A pessoa não conhece sua verdadeira vocação e, por isso, se sente “perdida”;
– Ela começa a se sentir insegura;
– Como diz Mechthild Scheffer, elas “querem gozar a vida, geralmente de maneiras não convencionais. Recusam-se a seguir com a corrente, preferem dirigir o próprio barco. Infelizmente, não sabem o nome do porto.”
– Apesar de fazerem inúmeras coisas bem, falta-lhes a convicção interior de que estão fazendo a coisa certa;
– Por conta dessa falta de certeza, o trabalho pode começar a parecer enfadonho, sem interesse;
– Acaba desperdiçando energias por se dedicar a várias coisas ao mesmo tempo;
– Se perde em muitas coisas “do exterior”;
– A pessoa busca “algo especial”, mas não sabe o que é;
– Ela procura uma direção, porém não consegue ver com clareza esse caminho, e isso a pode deprimir;

 

Já uma pessoa do tipo Wild Oat, no “estado positivo“, apresentará estas características:


– Reconhecerá o seu potencial de alma e o desenvolverá em sua plenitude;
– Não se perderá tanto com os “estímulos” externos, pois saberá, em seu íntimo, o que deve seguir ou não;
– Poderá até continuar fazendo várias coisas ao mesmo tempo, mas as fará bem e com entusiasmo, pois sabem que elas estão em harmonia com o seu Propósito Maior;
– Se sentirá segura e “firme”;
– Saberá silenciar para ouvir sua orientação interior;
– Ela estará segura e em paz consigo;
– Terá a certeza e confiança de que, mesmo diante de possíveis “distrações”, não irá se perder.

 

Como disse Carmen Monari,  Dr. Bach observou que WILD OAT era um indicador de direção que qualquer um poderia precisar para fortalecer o novo e ter raízes.

farol caminho direção lighthouse luz
É por isso que digo que esse floral, tão querido por mim e que tem me acompanhado nessa caminhada de (auto)descobertas e direcionamento de vida, é um floral para os nossos tempos.

Uma das coisas que tenho aprendido com ele é: quando a dúvida tomar conta de você e te angustiar, silencie, peça orientação a Deus e confie. Há muitas “opções” de respostas fora de mim, mas quem mais sabe o que é melhor para mim é o meu Eu Superior. E é isso que preciso fazer nos momentos de dúvida e indecisão: recorrer a essa Sabedoria que todos nós temos no nosso interior. É fácil? Nem sempre. Mas é um treino, que exige dedicação.

E uma outra lição poderosa que aprendi, e que me ajuda a fortalecer o “lado positivo” do Wild Oat, é a do poeta Rilke, que compartilho contigo neste vídeo: